Iniciação no Amor

    No Comments
    osho-dar-amor

    osho-dar-amor Madir, Jivan. Osho: não pensamento (wallpapers). Sobre dar e receber amor. Disponível em: http://www.jivanmadir.oi.com.br.

    O amor e a meditação são as duas grandes alavancas da evolução espiritual de um ser. São elas que conduzem os iniciados em tudo que sentem, pensem e fazem e na forma como se relacionam. Pode-se optar por um dos dois caminhos para uma iniciacao espiritual. O caminho da meditação é o caminho da solitude, do recolhimento interior, enquanto o amor é o caminho do relacionar-se, do crescimento em parceria com o outro. Aqueles que têm mais dificuldade com a solidão, em geral, seguem pelo caminho do amor.

    “Um dos meus maiores interesses é saber como casar a tal ponto a meditação com o ato de fazer amor que todo caso de amor se torne automaticamente uma parceria na meditação, e toda meditação torne você tão consciente que não precise mais cair de amores, mas possa se elevar no amor” (Osho, 2009).

    Embora seja um longo aprendizado, difícil e doloroso, eles não se arrependem em seguir por este caminho, porque sabem que este é o grande objetivo da Existência com todos os seres. O iniciado sabe que, embora a meta seja distante, a chegada é garantida, porque não é a sua vontade como indivíduo, mas a vontade de uma Inteligência Suprema que derrama seu Amor sobre todos os seres e coisas do Universo.

    Não é preciso perfeição para fluir e crescer no amor. O amor não tem nada a ver com o outro. Uma pessoa amorosa simplesmente ama, assim como uma pessoa viva respira, come, bebe e dorme. […] Não espere perfeição; do contrário nenhum amor fluirá de você. (Osho, 2009)

    A iniciação no amor nos apresenta muitos aprendizados, alguns se aprendem rapidamente, outros não. O fortalecimento é lento, porque são muitas as camadas do ego que nos impedem de trilhar o caminho do Amor. Tudo que recebemos por meio dos sentidos durante muitas vidas, proveniente de nossas famílias, amigos, da sociedade, vai se afixando em nossa memória espiritual e passamos a acreditar que aquilo é a verdade e nos desviamos do caminho do Amor.

    Por que medo do amor? Porque quando você realmente ama alguém, o seu ego começa a se desvanecer, a derreter. Você não pode amar com o ego; o ego se torna uma barreira e, quando você quer tirar a barreira entre você e o outro, o ego diz: “Isso vai ser a morte, cuidado”. A morte do ego não é sua morte, a morte do ego é, na verdade, a sua possibilidade de vida. O ego é apenas uma crosta sem vida em volta de você, ela tem de ser quebrada e abandonada. (Osho, 2009)

    Assim, quando o iniciado começa a se desvencilhar do ego, pode passar por muitos relacionamentos em busca do amor, vivendo intensamente cada um deles para aprender a distinguir o que é amor do que não é, para aprender a viver o amor em todas as suas formas de manifestação, e principalmente para distinguir a satisfação dos desejos do ego da plenitude do amor real. O iniciado vive intensamente cada relacionamento e se sente grato a cada pessoa que fez parte de sua vida, e que o auxiliou no seu crescimento no caminho do amor.

    […] é possível que o seu amor se torne um caso de uma vida inteira, mas lembre-se de que ele não será permanente. Terá altos e baixos, passará por mudanças. […] Mas também é possível que você tenha que mudar muitas vezes de parceiro ao longo da vida. Não há nenhum mal nisso. Na realidade, mudando muitas vezes de parceiro ao longo da vida, a sua vida ficará muito mais rica; e se todo mundo seguisse o que estou lhe dizendo sobre o amor, o mundo inteiro ficaria mais rico. (Osho, 2009)

    Quase sempre, o aprendizado de amor com um iniciado é recíproco e marcante também para aqueles que convivem com o iniciado. Mas nem sempre os não iniciados têm a coragem de seguir com os iniciados pelo caminho do amor, porque os que não se encontram na iniciação espiritual, mas têm uma evolução, vivem quase sempre guiados pela mente.

    O amor parece loucura para a pessoa movida pela cabeça, porque a mente é uma grande manipuladora. Qualquer situação em que se perde o controle parece perigosa para a mente. (Osho, 2009)

    Quando ocorre essa coragem por parte de um não iniciado, dispara o seu processo de iniciação espiritual por meio da iniciação no amor e aquele que já vinha trilhando o caminho poderá amparar e auxiliar pacientemente o crescimento do parceiro que começa agora sua jornada pela ascensão espiritual.

    A maior luta e o objetivo principal dos iniciados em busca do amor é se desvencilharem das grossas camadas de ego que foram adquirindo ao longo das suas inúmeras jornadas enquanto espírito encarnado, para retornar ao caminho do Amor, como o filho pródigo que retorna ao pai. Esse é o caminho de todos, mais hora, menos hora.

    O amor é um fenômeno espiritual; a luxúria é física. O ego é psicológico, o amor é espiritual. […] o medo é uma sepultura, o amor é um templo. No medo, a vida resvala para o nível da morte. O medo fede, o amor é perfumado. […] O amor é divino! É como a luz. Quando existe luz, não existe escuridão. Quando existe amor, não existe medo. O amor pode fazer da sua vida uma grande celebração, mas só o amor pode fazer isso – não a luxúria, não o ego, não a possessividade, não o ciúme, não a dependência. (Osho, 2009)

    I          Bibliografia

    Osho. A essência do amor: como amar com consciência e se relacionar sem medo. Tradução de Denise de C. Rocha Delela. São Paulo: Cultrix, 2009.

    Artigos Relacionados

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *