Sânnyas de Osho

    No Comments
    osho_satsang_bencao

    Para o Mestre Iluminado Osho, o termo Sannyas tem um significado um pouco diferente daquele  utilizado no Hinduísmo. O Sannyas de Osho é uma iniciação do indivíduo nos caminhos da espiritualidade, em busca do seu próprio ser, enquanto o Sannyas do Hinduísmo é a atitude daquele que renuncia ao mundo, tornando-se um peregrino em busca da Verdade. Enquanto o Sannyasin Hindu se afasta do mundo, o Sannyasin de Osho permanece no mundo sem se identificar com ele.

    Sannyas não é renúncia, é uma maneira de viver a vida na sua totalidade e intensidade. É a arte da vida viva em todas as suas dimensões, é a maneira de  viver a vida em toda sua riqueza. Não é a idéia velha do sannyas. Eu não estou criando monges e freiras – não, de modo nenhum. Eu estou criando os povos vivos, novos e atrevidos, prontos para irem em busca de toda a aventura e verdade, em busca do amor, em busca de Deus. (Osho)

    Enquanto Osho estava vivo, ele realizava com seus seguidores ou discípulos o SatSang, um evento no qual Osho apresentava ou identificava os novos Sannyasins.

    SatSang significa estreita proximidade com um Mestre, com um homem que “conheceu”. [o divino)]. Porque, então, ele  [o sannyasin] pode fluir. Ele já está fluindo. Os súfis dizem que isto é suficiente.(Osho)

    Cada um deles recebia um nome de batismo representando o renascimento do indivíduo, que a partir de então seguiria um novo caminho em busca de sua própria alma ou essência espiritual. O nome de batismo do Sannyasin, selecionado do sânscrito, era escolhido por Osho de acordo com alguma característica que representasse o indivíduo. Osho dizia que o dia do Sannyas torna-se a data do aniversário real daquela pessoa.

    O sannyas é uma mudança da cabeça ao coração, da lógica ao amor, de seus condicionamentos ordinários a uma mente sem condicionamentos] e a uma liberdade de que você não está consciente que você é capaz. (Osho)

    Após a partida de Osho para o mundo espiritual, muitos de seus discípulos deram continuidade ao seu trabalho, abrindo espaços de meditação, escolas de iluminação, nos quais o SatSang e a iniciação em Sannyas continuam acontecendo, fazendo com que o trabalho do Mestre Osho se expanda por todo o planeta.

    O caminho de um Sannyasin pode ser trilhado ao lado de um mestre vivo ou pode ser um caminho solitário de práticas meditativas e de vivências extraordinárias. O mestre pode ajudar muito, mas podem ser muitos mestres e não um só. Pode ser um mestre para cada situação, cada vivência, cada experimentar. A meditação, no entanto, é essencial, pois traz para o Sannyasin a libertação interior das amarras da mente e da sociedade, de todas as camadas de energia pesada que recobrem e apagam o brilho da alma.

    Mas lembre-se!

    Você não pode deliberadamente apossar-se do sannyas, ele é algo como o amor, que acontece, ele é algo como o sono que vem. Você não pode fazer nenhum esforço para que o sono venha, nem pode fazer todo o esforço para que o amor aconteça – estas não são parte do mundo dos fazedores. Sua primeira dificuldade é que você está pensando em apossar-se do sannyas. Deixe cair essa idéia, e o sannyas vai apossar-se de você. E de repente você se surpreenderá, “Meu Deus, eu sou um sannyasin”. Simplesmente vem – e vem assim silenciosamente, assim graciosamente. (Osho)

    Bibliografia

    Osho. A visão tântrica: discursos sobre as canções de Saraha. Tradução de Ma jivan Yogini.  São Paulo: Madras,  [s.d]. ISBN 8573742828

    Osho. The hearth sutra: discourse nº 10. Tradução de Swami Bodhi Champak. ©Suíça, Osho International Foundation.  Disponível em: http://www.oshobrasil.com.br/Texto_21.htm. Acesso em: 8 de setembro de 2010.

    Osho. Yoga: a ciência da alma. Tradução de Ma Samashti. São Paulo: Madras, [1974]. ISBN 8573742879.

    Artigos Relacionados

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *